Artigo

A região abdominal é onde se concentra o nosso centro de gravidade e os músculos responsáveis por nossa estabilidade corporal – abdominais, músculos lombares, músculos do assoalho pélvico e o diafragma –  que denominamos de CORE. Se nessa região apresentarmos uma disfunção causada por um processo cicatricial, perdemos a estabilidade do corpo e a coluna é que vai acabar pagando um preço por isso.

Quando falamos que a cicatriz na região abdominal pode ser a causa da dor na lombar, não necessariamente apenas pela cesariana ou, somente em mulheres, mas qualquer cicatriz na cavidade abdominal, como por exemplo a retirada do apêndice (apendicectomia) ou a retirada do útero, mas vamos utilizar a cesariana para tentar explicar esse mecanismo.

Se você começou a sentir dor na lombar ou ela piorou após algum procedimento cirúrgico na região abdominal, muito provavelmente esse mecanismo que vou explicar possa estar acontecendo.

Lesões nos tecidos moles, como um tecido cicatricial, podem causar disfunções locomotoras. Disfunção locomotora diz respeito a programas motores e uma lesão em qualquer elo da cadeia, incluindo tecidos moles, pode afetar o programa como um todo, como postura, marcha e estabilização do corpo.

Observamos alterações bioquímicas e mecânicas no tecido cicatricial e ao seu entorno. Essas modificações alteram a entrada de informações proprioceptivas da região como resultado do comprometimento da tensão do tecido.

Essa falha no envio de informações (N.T: Aferência para o sistema nervoso central) pode, como consequência, causar uma falha na resposta motora (N.T: Eferência para o sistema musculoesquelético), levando a uma variedade de complicações como: padrões posturais de proteção, atividade neurovascular aumentada e síndromes dolorosas. Assim, o termo cicatriz ativa é designado para descrever essa alteração na atividade neural que pode estar associada com a formação de aderências cicatriciais.

Quando falo em via de entrada (aferência ao sistema nervoso), faço referência a uma série de receptores sensoriais no tecido miofascial, na verdade muito mais no tecido de fáscias do que nos músculos. Esses receptores dão informações como mudança de comprimento/alongamento do músculo, informação de carga, pressão e, ainda podem reportar sensações como temperatura e dor. Se essas informações não estão sendo percebidas com clareza pelo sistema nervoso (SNC), a resposta motora pode ser alterada na falta de estímulo muscular adequado, o que chamamos de inibições musculares.

Caso você tenha se identificado com esta situação, aqui na clínica Fortius temos profissionais altamente qualificados que poderão lhe ajudar a identificar e tratar esse problema.

Thiago Alfama

Thiago Alfama

Sócio-diretor da Clínica, fisioterapeuta graduado pela Universidade La Salle de Canoas/RS em 2010. Fisioterapeuta com ênfase na área de ortopedia, possui diversas formações como: Dynamic Neuromuscular Stabilization Clinical (DNS); 3D Maps pelo Gray Institute; Conceito Mulligan; Movimento Combinado; Liberação Miofascial; Quiropraxia, Dry Needling e Acupuntura. Professor e responsável técnico pela Clínica do Instituto Fortius. CREFITO5 152.866F
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
×