Artigo

De um modo geral, as pessoas não gostam de sentir dor, nem desconforto muscular/articular.

Mas como é difícil não precisar de uma ajuda, ainda mais nos tempos atuais onde tudo é feito para diminuirmos a quantidade de movimentos diários. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) no anuário de 2016, o Brasil possui 47% da população que não se exercita e desde 2002 as taxas de inatividade cresceram 15%.

Tendências similares de crescimento de inatividade física foram documentadas na Alemanha, Bulgária, Filipinas e Singapura.

A pesquisa publicada na revista The Lancet Global Health levou em conta dados de quase 2 milhões de pessoas de 168 países. A OMS classifica como atividade insuficiente os casos em que a pessoa dedica menos de 150 minutos semanais de exercícios de intensidade moderada ou menos 75 minutos aos intensos. A meta da OMS é de que até 2025 a taxa de sedentarismo diminua 10%.

E como fazer para melhorar esta estatística?

A resposta seria apenas “EXERCITE-SE” ou “MEXA-SE”.

Mas como podemos ajudar no aumento de atividade física se as pessoas procuram a Clínica inicialmente para eliminar uma disfunção ou acabar com uma dor?

Para isso criamos um plano estratégico, o cliente faz uma avaliação funcional, durante a avaliação se faz uma primeira intervenção da fisioterapia, posteriormente em equipe se discute qual a melhor estratégia para o caso, ou mais sessões de fisioterapia ou exercícios específicos ou ambos.

Para cada caso, uma estratégia.

Por exemplo, uma pessoa chega com dor lombar, faz-se o primeiro atendimento para eliminar a dor aguda, a partir da avaliação do fisioterapeuta, decide-se se o paciente necessita de outras sessões de tratamento e uma sessão de exercícios e quando apresentar um quadro melhor, apenas exercícios para utilizar também como tema de casa, aquecimento para outra atividade física ou esporte ou até mesmo para levar para sua vida diária.

Assim, estamos aliando a fisioterapia e a educação física para atender o cliente e sugerir opções que possam direcionar a solução de longo prazo.
Venha consultar na Clínica Fortius.

Alexandre Ortiz

Alexandre Ortiz

Sócio-diretor do Instituto Fortius. Professor de Educação Física graduado pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Especialista em Fisiologia do Exercício e Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (EsEF-UFRGS).
×