Artigo

Muitas pessoas tem esta dúvida quando é acometido de um episódio de dor no joelho, mas para deixar claro, a Síndrome de Dor Femoropatelar (SDFP) é também comumente conhecida como dor anterior no joelho, condromalácia patelar ou joelho do corredor. E qual a sua prevalência?

  • Responde por 25% de todas distúrbios do joelho em um ambiente ortopédico
  • Comum em corredores, tenistas e pessoal militar
  • 8% dos homens e 6,5% das mulheres são acometidos anualmente
  • Prevalente entre levantadores de peso e atletas de crossfit
  • Visto mais comumente em adultos jovens e também ocorre durante períodos de rápido crescimento na adolescência principalmente.

Alguns exercícios como agachamento profundo, avanço, afundo, corrida, ou atividades cotidianas como subir/descer escadas são bastante dolorosas ou o indivíduo está evitando em virtude da dor.

O que é importante entender é que esta é uma condição muito comum e que normalmente melhora com o plano de ação correto, seja procurando uma fisioterapia que faça uma avaliação completa para entender a origem da dor (que invariavelmente e na maioria das vezes não vai ser no joelho), ou entrando num plano de exercícios que seja ótimo para alívio da dor.

E porque o local da dor é diferente da origem da dor? Ocorre que a articulação do joelho (especificamente a trajetória patelar) é fortemente influenciado pelo pé (articulações subtalar e do médio pé), tornozelo (articulação talocrural) e quadril.

Ter força e controle dos músculos do quadril desempenham um papel direto no alinhamento e na trajetória da articulação patelofemoral, assim como no total de stress que sofre com o movimento. O fortalecimento destes músculos também auxilia a eliminar a dor durante a SDFP. 

A dorsiflexão limitada no tornozelo também desempenha um papel no mal alinhamento da articulação patelofemoral. O total de movimento articular nesta articulação é influenciado pelos músculos gastrocnêmio e sóleo (panturrilha), assim como pela articulação em si. As articulações subtalar e do médio pé têm uma influência direta em quanto de arco plantar temos nos nossos pés. Isto é importante em virtude do arco plantar influenciar a quantidade de rotação que ocorre na tíbia. O tendão patelar se insere diretamente na tíbia (tendão patelar também se insere diretamente na patela). Movimento na articulação subtalar irá afetar a excursão patelar.

Então o que se observa é que: “o joelho é escravo das articulações acima e abaixo dele”.

O que fazer para resolver isso? 

Não é uma resposta simples como faça exercícios e pronto, se não seria só pedir para as pessoas se matricularem numa academia e estaria tudo resolvido. Mas os exercícios são essenciais, porém o procedimento adequado é avaliar o que está causando a dor e tratar com técnicas da fisioterapia, posteriormente adicionar exercícios que melhoram a força e o controle muscular, principalmente aqueles que visam os músculos do quadril e do tornozelo.

Tem este tipo de problema e gostaria de resolver o seu problema? Venha para a Clínica Fortius, faça a sua avaliação, tratamento e treinamento para melhorar a sua saúde e ter uma vida mais ativa.
Artigo baseado no artigo do Instituto Fortius “Guia para a dor femoropatelar”. Para ler mais sobre o assunto acesse https://fortius.com.br/guia-para-a-dor-femoropatelar-parte-1/

Alexandre Ortiz

Alexandre Ortiz

Sócio-diretor do Instituto Fortius. Professor de Educação Física graduado pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Especialista em Fisiologia do Exercício e Mestre em Ciências do Movimento Humano pela Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (EsEF-UFRGS).
×