Artigo
Lesionado e agora - Clinica Fortius - 6RG84DB

Você está lesionado?! Entenda um pouco mais sobre lesões, como é o mecanismo de lesão, seu tratamento e uma rota mais inteligente para recuperação.

Se Machucar é muito ruim – eu já senti na pele!

Você coloca tempo e esforço para melhorar e fortalecer suas habilidades e alguma coisa dá errado. Talvez seu pé tenha escorregado e você tenha uma lesão aguda, ou talvez seu ombro tenha começado a doer, aparentemente do nada.

Independentemente da causa, pode ser difícil descobrir exatamente o que está errado e como recolocar seu corpo em ação e é ai que este artigo que irá ajudá-lo.

Começaremos por armá-lo com uma melhor compreensão da sua lesão e como isso provavelmente tenha ocorrido.

Vamos começar falando sobre o que você deve e não deve fazer em cada tipos de lesão.

E, finalmente, daremos algumas recomendações sobre os recursos que irão te ajudar no seu caminho para a recuperação.

Eu trabalhei com inúmeros pacientes com meus 10 anos de experiência como fisioterapeuta e ajudei Centenas de pessoas pessoalmente e outras milhares pelo meu canal do Youtube, em todos os níveis de prática, como lidar com lesões e limitações para que eles possam voltar a viver e curtir seus atividades favoritas.

Nós ajudamos clientes a lidar com tudo, desde tornozelo torcido até doenças neurológicas crônicas, e embora não possa dar conselhos médicos, tenho muita experiência ajudando as pessoas a descobrir como ultrapassar suas limitações. Confie em mim, já vivenciei todos os tipos de lesões discutidas neste artigo (e mais, muitas mais), então sabemos que você pode voltar às atividades que você tanto ama com calma e perseverança.

É apenas uma questão de saber com o que você está lidando, e dar os passos certos para chegar onde você quer ir.

Se você está machucado agora ou já esteve no passado, este artigo dará o conhecimento que você precisa para voltar a fazer o que é importante para você, o mais rápido possível.

Compreenda sua lesão

É bastante comum que você saiba exatamente o que causou sua lesão, mas às vezes isso não será o caso. De qualquer forma, o primeiro passo para superar sua lesão é tornar-se mais familiarizado com o que realmente está acontecendo com o seu corpo.

Antes de entrar nas quatro causas mais comuns de lesões, é importante saber quando você deve procurar atendimento médico imediato de um profissional (além do óbvio quebrado ou similar). Vá ver seu médico imediatamente se você tiver algum dos seguintes problemas:

  • Inchaço e/ou formigamento em uma área que não diminuiu dentro de alguns dias após o início dos sintomas.
  • Fraqueza significativa (não relacionada à dor), ou um pé arrastando quando você anda.
  • Dor que constantemente o acorda à noite.
  • Choque ou dor que desce rapidamente por seus braços ou pernas.

Qualquer dor por trauma (torção do tornozelo, pulso, queda no ombro, etc.) que não melhora significativamente em 5 a 7 dias, e com dor superior a 5 em uma escala de 1 a 10 (sendo 10 o mais doloroso).

Febre, perda de peso, ou qualquer outra mudança vital acontecendo sem motivo aparente.

Basicamente, todos esses sintomas são muito ruins. Não espere, verifique o médico se você tiver algum desses sintomas. Estes poderiam ser sinais de problemas importantes e seria melhor ir o mais cedo possível em um médico.

Causas mais prováveis da lesão

Agora vamos dar uma olhada nas causas mais prováveis ​​de sua lesão, existem outras mas essas quatro já abordam grande parte das lesões mais comuns da clínica.

Sua lesão foi causada pelo traumatismo?

A Lesão Traumática é uma causa muitas vezes incontrolável de muitas lesões, não é muito difícil saber quando isso aconteceu, pois é caracterizada pela sua natureza rápida e óbvia.

As características de uma lesão traumática são:

  • Acontecem rapidamente
  • Você geralmente saberá relativamente rápido o quão ruim o dano foi

O nível de lesão deverá corresponder com a força do trauma (em outras palavras, quanto mais forte o impacto maior o dano, se o impacto for leve e o dano for pior do que parece ser, provavelmente é outro tipo de lesão)

Exemplos disso acontecem o tempo todo em atividades diárias e recreativas. Quedas e colisões, tropeçar e torcer o tornozelo, seus filhos pulando em você enquanto você está no sofá, todas essas são fontes muito comuns de lesões.

Com trauma, a força deve ser claramente proporcional à lesão, e a extensão do dano é conhecida quase que imediatamente.

A quantidade de inchaço, hematomas e dor indicam o quão ruim é a lesão, e você geralmente saberá imediatamente se precisa procurar por seu médico. Claro, se você tiver algum dos sintomas que comentamos anteriormente e estes persistirem por alguns dias, não custa muito visitar um médico, o prevenido morreu de velho.

Para ser claro, “eu me inclinei para pegar uma meia, e minhas costas deram um mau jeito” isso não é uma Lesão Traumática!

Sim, parece haver um incidente específico que causou dor nas costas, mas se você se inclinar para pegar coisas o tempo todo, por que você se machucou neste momento específico? Uma boa regra de ouro é, se parece que sua dor está fora de sincronia com o que aconteceu, provavelmente devido a há combinação dos fatores complexos listados abaixo.

Foi uma lesão causada pelo Uso Excessivo?

Este tipo de lesão é comum entre os “guerreiros do fim de semana” que (por exemplo) podem sair todos em um jogo de futebol no sábado, depois de muito tempo sem se movimentar a tanto tempo e por muito tempo.

As características das lesões por uso excessivo são:

  • Micro ou Macro Lesões no tecido muscular
  • Os sintomas ocorrem rapidamente
  • Causada por uma mudança no seu ambiente

Os problemas de uso excessivo são diferentes de uma lesão de estresse repetitiva (sobre a qual falaremos em seguida). A diferença é que o uso excessivo é distinguido por uma ruptura relativamente rápida no tecido, devido à introdução de um estresse que a estrutura não estava equipada para tolerar.

A causa é uma mudança distinta em seu “ambiente”, seja um novo esporte ou um novo par de sapatos.

A mudança pode ser facilmente identificada e os sintomas aparecem quase que imediatamente, podendo ser até em poucas horas ou até no dia seguinte, aquela dor após iniciar a academia ou trocar os pesos.

Um exemplo comum é ajudar alguém a fazer uma mudança. A menos que você tenha feito levantamentos olímpicos regularmente (e mesmo que tenha feito), posso apostar que você sentirá algumas tensões mais tarde e no dia ou na manhã seguinte e encontrará com aqueles nós musculares aquelas contraturas.

Outro caso típico é adicionar um dia extra de treinamento quando seu corpo não está pronto para subir um degrau no patamar do estresse de treinamento.

Talvez você não esteja recebendo o suficiente descanso e recuperação em seus dias normais de treino e você não é capaz de tolerar o trabalho extra (entenda trabalho como qualquer estresse físico de treinamento ou deslocamento). Se você ignorar esses sintomas da “dor nova” em seus ombros, ou as dores na canela que você não teve desde que você corria no colégio, você pode estar se preparando para problemas de longo prazo.

Sua lesão veio do Estresse Repetitivo?

Lesões de estresse repetitivo este tipo de lesões geralmente é uma dor de cabeça, onde você não conhece necessariamente a causa exata do problema. Ao contrário de uma lesão traumática ou de uso excessivo, não houve um evento específico que precipitou essa lesão.

As características das lesões por esforço repetitivo são:

  • Desenvolve-se lentamente durante um longo período de tempo
  • Acúmulo de irritação a um tecido

A dor pode ser gradual, disse que pode ser… mas na maioria das vezes a ignoramos e nos acostumamos com uma dor leve que vai aumentando gradativamente ao longo do tempo.

As lesões por estresse repetitivo são formadas por um lento acúmulo de irritação em um tecido, ocorrendo ao longo de semanas, meses e talvez até anos, antes que os sintomas sejam observados.

Um exemplo é o carpinteiro que trabalha durante anos e anos sem dificuldade, mas agora percebe uma dor prolongada no pulso que está piorando. Quando questionado, ele associar que ao longo do tempo houve uma deterioração gradual em seu desempenho.

Outro exemplo da minha prática é quando tratava uma professora uma vez que trabalhava durante anos sem problemas, mas tinha dor de cotovelo intensa por algum tempo antes de entrar em tratamento. Mas essa deterioração lenta pode ser difícil de notar até que a dor se tornar demais para ignorar.

Um exemplo do treinamento físico pode ser que em suas sessões você sente inicialmente uma dor em seu ombro, que vai e vem. Mas, alguns meses depois, você percebe que a dor continua mais do que antes e é um pouco mais intensa, e talvez, ao invés de apenas acontecer quando você se exercita, agora aparece quando você está colocando o pote do arroz em uma prateleira alta.

O que causa isso? Talvez uma doença, ou mesmo apenas a passagem do tempo, que trouxe níveis de força baixos um pouco, enquanto você continuava sem qualquer redução no volume de suas atividades.

A menos que você esteja com sintomas da bandeira vermelha (aquelas do início do artigo) que exigem a atenção de um profissional médico, as estratégias que compartilharemos neste artigo serão boas para esse tipo de lesão.

Foi causado por Potencial de Adaptação ao Esgotamento? Ou Como chamamos Compensações Musculares

Esta causa é a mais comum em meu consultório, mas para leigos é a mais difícil de se ver, é provavelmente a melhor causa de dor que um profissional da saúde pode avaliar. É uma questão complexa e deve ter um grande conhecimento e atenção. Mas é útil conhecer as coisas básicas a serem observadas.

As características de uma Lesão por Compensação Muscular são:

  • Causa mais complexa de dano

Pode ser causada por uma cicatrização inadequada de um trauma prévio ou pelas adaptações que seu corpo fez para compensar um trauma ou músculos fracos que não realizam movimentos corretamente.

A causa geralmente não é nem de perto no local da dor! (ai que as pessoas mesmo os profissionais erram no diagnóstico)

O potencial adaptativo de nossos corpos é definido como a capacidade de tolerar as várias tensões em nossas atividades diárias. Isso é distinto do uso excessivo ou do estresse repetitivo, na medida em que o problema subjacente geralmente não está na área da nossa dor.

Você deve saber algumas coisas… Seu cérebro é preguiçoso, ele não quer gastar energia e sempre irá encontrar a maneira mais fácil de fazer um movimento, o que muitas vezes acaba por gerar compensações.

Outra coisa que você deve saber, o cérebro nada sabe de músculos, ele apenas entende movimento, você não pensa nos músculos de forma isolada e sim apenas no movimento a ser realizado, e por isso se um músculo não está bem ativo, ele não ajuda no movimento e nesse caso, quem não ajuda atrapalha…
Uma lesão desse tipo ocorre quando um trauma passado que pareceu curado, mas na verdade, foi compensado por afetar estruturas diferentes da parte do corpo comprometida.

A verdadeira causa (o “culpado”) é muitas vezes distante do local da dor (a “vítima”) e a causa dessas compensações é o que precisa ser abordado, em vez de apenas tratar os sintomas no local da dor.

Por exemplo, você pode ter escorregado e caído em um piso molhado durante o verão e teve um pouco de dor em seu ombro que melhorou depois de algumas semanas.

Este incidente pode ter subitamente alterado sua postura e como você segura seu pescoço. Embora você inicialmente não teve dor no pescoço, logo você observa uma dor de no pescoço constante que parece ter aparecido “do nada” (é aí que “eu me abaixei para pegar uma caneta e agora não posso mover meu pescoço! “entra em jogo).

A explicação mais corriqueira e simples é o uso excessivo desses músculos, mas o caso pode ser significativamente mais complicado. Deixe-me elaborar.

Uma contratura cervical anterior, pode irrita uma raiz nervosa.

Esta raiz nervosa irritada é então incapaz de fornecer um sinal normal à musculatura extensora do pulso, sim os nervos que inervam o braço partem do pescoço.

Esses impulsos elétricos(os nervos se comunicam com impulsos elétricos) enfraquecidos podem então causar uma contração muscular disfuncional.

O sinal enfraquecido resulta em um músculo mais fraco.

Essa força diminuída de contração torna os músculos menos capazes e o tecido não consegue suportar as forças externas que atuam sobre ele.

Pontos fracos em sua estrutura física (como ombros rígidos, dificuldade em flexão para frente, rigidez do pescoço com rotação em uma direção) podem criar problemas em outros lugares do seu corpo e torná-lo mais vulnerável a lesões durante o treinamento.

“Na minha experiência, a lesão é uma oportunidade de olhar para uma área disfuncional em seu corpo que você estava evitando ou não sabia que existia. É comum ouvir alguém falar sobre fazer algo mundano como pegar um pedaço de pão e “sentir uma grande dor nas costas”. Enquanto na realidade, a fraqueza ou o desequilíbrio já havia se instalado há algum tempo, o pegar o pão foi apenas a gota d’agua.”

Identificar e trabalhar em suas áreas problemáticas pode ajudar a prevenir problemas maiores no futuro.

Então você teve uma lesão – agora o que?

Com grades a probabilidade, sua lesão cai sob uma das quatro categorias descritas. Caso contrário, você pode estar lidando com algo mais complicado (ou mais grave), e você deve ir ao seu médico para obter mais ajuda, não comentamos nenhum tipo de síndrome, nenhuma complicação neurológica grave muito menos doenças cardiovasculares.

Supondo que você tenha uma das lesões que falamos acima, o que você deve fazer? Pare tudo e aceite seu destino ferido?

Bem, isso depende.

Quando você deve fazer uma pausa versus quando você deve continuar se movendo
Algumas lesões vão curar melhor com o repouso, outras curarão melhor com o movimento, outras com ambos.

Lesão traumática – Com trauma, isso realmente depende da gravidade da lesão. Se é ruim o suficiente para que você deva ver o seu médico, você provavelmente precisará de algum período de repouso, e siga as recomendações do seu médico. Se for menos grave, você provavelmente vai querer levar pelo menos alguns dias ou até uma semana ou duas para descansar. Este período de descanso é um bom momento para entrar em algum movimento genti, firme mas gentil para manter o sangue fluindo.

Lesão por uso excessivo – Como as lesões por uso excessivo são causadas por “ir forte demais” quando você não está acostumado a fazê-lo, o descanso é imperativo. Mas depois de alguns dias de descanso, uma vez que a área afetada já é sentida com menos dores, esse é o momento de começar a fazer um movimento regular e consistente e é uma prioridade. Isso irá protegê-lo de futuras lesões por uso excessivo.

Lesão por esforço repetitivo – Este tipo de lesão ocorre durante um longo período de tempo, então, a menos que haja uma atividade específica que agrave a área, interromper seus movimentos provavelmente não é a resposta. Em vez disso, adicionar alguns movimentos específicos o ajudarão a fortalecer e mobilizar sua área de dor produzirá um bom benefício.

Lesão de Potencial Adaptativo Esgotado – Como eu mencionei acima, esse tipo de lesão pode ser bastante complexo e abordá-lo por conta própria pode não ser a melhor idéia, especialmente antes de verificar o seu problema. Pare seu treinamento regular por agora, consulte um médico e um fisioterapeuta e siga as recomendações.

Como você pode ver, para a maioria dos tipos de lesões, você fará bem em continuar se movendo, em vez de descansar completamente.

“Mas descansar não é a chave para a recuperação ?!” Aqui está minha história de lesão …

Eu consegui consertar minha própria dor para que eu pudesse voltar para lá para o agachamento.

Vou usar-me como exemplo.

Um tempo atrás, comecei um programa de especialização em agachamento com barra e pareciam desenvolver uma ligeira tendinite do meu músculo sartorius, um músculo que se liga à frente da pelve e vai até o joelho em formato de S. Quando percebi pela primeira vez, senti apenas dor com toque. Eu notei nenhuma dor ao andar e apenas uma dor mínima no agachamento (e essa dor diminuiu rapidamente).

Era uma tendinite interessante que nunca tinha tido antes, e acredito que se desenvolveu com minhas tentativas de mudar a técnica de agachamento, juntamente com uma freqüência relativamente alta e um aumento de peso.

Eu então identifiquei a questão da técnica (que estava inapropriada, sentado nos meus calcanhares em demasia), isso tirou a tensão do tendão.

Este era realmente um caso em que a lesão não se beneficiaria de um período de descanso mas com a correção dos erros e da forma do agachamento e o benefício do exercício consistente para melhorar o fluxo sanguíneo para a área, determinei que era melhor continuar com meu programa de fitness planejado.

O desempenho da técnica melhorada cuida da causa do problema, mas eu ainda tinha os sintomas a serem gerenciados.

Juntamente com os exercício realizava alongamento para a área, usei também uma técnica chamada “mobilização de fricção transversal”. Essa técnica pode ser feita como uma auto-massagem, desde que a área seja relativamente acessível.

Veja como experimentar esta técnica:
Massageie a área dolorosa até que a dor adormeça ou diminua consideravelmente, o que é de cerca de 5 a 10 minutos.

Então, é melhor fazer movimentos leves e ativos (como alongamento ou locomoção), depois gelo na área diretamente após o tratamento de massagem.

Fazer esse tratamento uma vez por dia é bom e duas vezes por dia é ótimo se você tiver tempo. Eu esperaria resultados dentro de uma semana de após iniciar os tratamentos, desde que o fator causador da lesão tenha sido corrigido corretamente.

Como se movimento novamente após sua lesão

Agora que você tem uma boa compreensão de onde sua lesão está vindo, é hora de começar a abordar seu problema de frente.

Certifique-se de primeiro ler a seção anterior sobre se você deve ou não ver seu médico ou fisioterapeuta antes de tentar consertar coisas por conta própria. Se a sua lesão se enquadra na categoria “você provavelmente pode gerenciá-laa”, esta seção será útil para voltar ao normal.

E se você foi impedido por uma lesão, mas está pronto para voltar aos treinos, esses recursos são um bom lugar para começar.

Começaremos com uma abordagem mais geral que o ajudará a solucionar as lacunas em sua força, flexibilidade e controle motor, então daremos algumas recomendações específicas para áreas problemáticas comuns.

Soluções para prevenção de lesões

Há muitas abordagens diferentes para trabalhar através de uma lesão – alongamento, isométrico, rolo de espuma, auto-massagem – estas são ótimas opções.

Minha abordagem favorita é um bom aquecimento seguido de padrões de movimento para trabalhar em força, flexibilidade e controle de motor de uma só vez, de modo que você possa preencher as lacunas que levaram à sua lesão em primeiro lugar.

Antes de Iniciar qualquer trabalho muscular, você pode realizar um trabalho de aquecimento muscular seguindo as instruções desta sequência de vídeos:

Lucas Job

Lucas Job

Fisioterapeuta graduado pelo Centro Universitário Metodista IPA, 2010/1, Terapeuta Manual Certificado pelo Manual Concepts Institute da Austrália 2010, Formações complementares em Maitland, Mulligan, Mobilização Neural, McConnel, Kinesio Taping, Movimento Combinado, Spinal Stabilization and Knee and Shouder Reabilit, Kabat Valejo, Liberação Miofascial Instrumental, Dry Needling- Agulhamento a seco, Quiropraxia Clínica, Formação Pilates Aparelhos, Solo e Bola. Crefito: 158.083/F
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
×